Jornalismo

O tiro que o jornalismo brasileiro tomou hoje

Imagem

Se havia a necessidade de alguma confirmação da fase difícil do jornalismo brasileiro, ela foi dada na noite de quinta em São Paulo. Após semanas em que vagas foram cortadas em quase todas as principais Redações do país, chegou a hora de sentir uma dor mais concreta. E inesperada. Sim, inesperada porque estamos acostumados a viver em um estado democrático, em que a ditadura não existe há 30 anos, um estado em que a liberdade de expressão é teoricamente assegurada e em que o profissional da informação tem a garantia de que pode realizar o seu trabalho. Duas imagens registradas nos protestos contra o aumento da tarifa de ônibus em São Paulo definitivamente mostraram que isso está em jogo.

A primeira, de um cinegrafista que é atingido por spray de pimenta por um policial ensandecido, com uma raiva cega nos olhos.

A segunda, assustadora, da repórter Giuliana Vallone sentada, com o olho roxo, escuro, resultado de uma bala de borracha que, segundo um testemunho, foi disparada por um PM de forma totalmente covarde.

Quem lê esse esse texto e não é jornalista – ou é de fora do eixo Rio-SP – pode escarnecer do que foi dito até aqui. Claramente a repressão policial já aconteceu contra pessoas que não estão associadas à imprensa ou a pessoas da imprensa de outros lugares Brasil adentro. Sim, escrevo agora porque uma colega daqui foi vítima. Me coloco no lugar. Enxergo mais de perto.

Mas eu acho que mesmo de forma geral o que aconteceu hoje tem um peso maior. É o símbolo de que “o poder da caneta”, “o quarto poder” não coloca medo mais em que tem o trabalho de manter a ordem (ou reprimir) mas, politicamente, deve conservar a imagem limpa de arroubos ditatoriais.

E isso tudo acontece em um momento em que as empresas jornalísticas, em quase toda a sua maioria, estão enfraquecidas financeiramente. Não fracas, mas enfraquecidas. E como sempre é lembrado na história do jornalismo, uma imprensa enfraquecida significa um cão de guarda que não consegue guardar mais.

A violência que a Polícia Militar de São Paulo cometeu contra os profissionais, meus colegas, bravamente na rua, junta forças a uma situação de instabilidade, um período que nós nos sentimos mais acuados, mais fragilizados.

“Mas nunca vamos desistir!” poderia dizer. É claro que eu não posso. Até porque eu sou eu, não sou “nós”. E até hoje, ao cair a ficha de que o profissional que está trabalhando para relatar os fatos é um inimigo, não merece respeito, o que nós tínhamos era um cenário de incerteza, em que precisávamos reinventar a roda ou inventar um futuro – sim, há dúvidas sobre o futuro do jornalismo. Apenas isso.

Mas continuo achando que esse é um momento fascinante justamente porque temos a missão de reinventar a roda ou inventar um futuro.

O mais importante, no entanto, é lembrar a TODOS, jornalistas ou não, de que fragilizar o profissional de imprensa é perigoso de um modo geral. É não ter ninguém para gritar que vão invadir a casa. É não ter ninguém para dizer que a casa corre o risco de ruir e que não fazem nada para evitar isso. É não ter ninguém para nos acordar quando a maioria estiver dormindo.

Giuliana Vallone, só você vai sentir a dor que esse tiro vai causar, não há metáfora que alivie isso. Mas, sim, nós fomos atingidos também.

Anúncios
Padrão

23 comentários sobre “O tiro que o jornalismo brasileiro tomou hoje

  1. Realmente Revoltante e ainda dizem que o Brasil tem Liberdade de expressão, depende para quem ou sobre o que .O abuso absurdo monopolizado por uma categoria que deveria nos proteger agindo Contra nós mesmo!!!!!
    E é assim que se resolvem as questões sociais ? Onde estão os Direitos da Sociedade ? Na verdade são questões politicas a quem deveriamos perguntar.Onde esta Dona Dilma? e por ai vai…. o misto profissionalismo invadido pelo vandalismo da nossa propria defesa….

    • Meu caro: direito de expressão não é e nunca foi direito de badernar e quebrar o que não lhe pertence, o numero de policiais em relação a quantidade de manifestantes era tão desproporcional que não tinha outra alternativa a não ser responder a altura das agressões. Ou vc não viu isso? A baderna era grande que não da para saber quem é quem, levando em conta a quantidade de pessoas presentes na baderna que dizem ser manifestantes então minha cara pau no primeiro que que aparecer. Ou vc queria que os PMS tomassem uma surra? agora vc disse uma coisa certa onde esta a Dilma… não se esqueça que isto é o retrato do nosso governo que tem deputado bandido condenado, tem bandido no senado, na Câmara Federal em todos os ministérios se o atual governo não roubasse tanto com desvios de dinheiro publico talvez esses valores ajudassem no subsidio de petróleo, vc viu o a jatinho de 50.000.000,00 que o filho do bandido ex presidente Lula adquiriu, onde esta esta a imprensa que não divulga esse monte situações ou será que a imprensa vai usar o mesmo jargão do LULA eu não estou sabendo…. Fica a frase que recebi estes dias atrás “O POVO BRASILEIRO QUER POLICIA DE PRIMEIRO MUNDO MAS NÃO SE COMPORTA COMO CIDADÃOS DE PRIMEIRO MUNDO”

      • shin70 disse:

        A ‘baderna’ a que o senhor refere partiu da Polícia Militar. Agressão, que tentou calar a imprensa. Paz!

      • Eduardo Souza disse:

        Os Policiais Militares ganham bem em vista ao grau de cultura que eles tem, pra que greve, quando pequeno a mãe fala, vc vai ser Dr, e o filho responde não mamãe vou ser POLIÇA e é essa a POLIÇA que se diz OTORIDADE, isso é Brasil. um Dr não é autoridade mas um semi analfa se diz eu sou autoridade.

    • ro_2411@yahoo.com.br disse:

      “Realmente Revoltante e ainda dizem que o Brasil tem Liberdade de expressão, depende para quem ou sobre o que .O abuso absurdo monopolizado por uma categoria que deveria nos proteger agindo Contra nós mesmo!!!!!”.

      Não concordo, pois quem está agindo contra a polícia é os ativistas, fascista e baderneiros, a polícia está agindo a altura, se eles não têm armas não letais e a polícia sim, é uma peninha, então, antes de quebrar ônibus, pontos e principalmente cabines da polícia, não fariam o que fazem, e eu ainda acho pouco, teria que tomar mais surra ainda, pra aprender, se os pais não educaram, a vida vai educar na porrada.

  2. Julio Cesar disse:

    Vá pro quinto dos infernos com seu comentário tendencioso e hipócrita! A PM de São Paulo foi acionada para conter um bando de badernistas, que se auto intitulam “manifestantes”, e de forma rígida tentou conter a turba. Jornalistas, que por sua vez, deveriam se colocar de maneira imparcial, incitam ainda mais a massa agindo de forma grosseira e invasiva. Tentem entender o lado dos PMs; ganham uma miséria por mês, lidam com situações tensas e criticas onde qualquer ser humano ficaria longe e ainda sofrem perseguição interna, por parte do seu comando, e externa, pela população e imprensa!
    A PM e as Forças Armadas foram criadas para defender o povo, o território, patrimônio e manter a ordem publica; “maçãs podres” existem em qualquer instituição, em qualquer meio.
    Pensem antes de falar merda ou ir pra rua protestar contra alguma coisa……….

    • Raphael R. disse:

      Ilusão sua achar que a polícia ou forças armadas foram criadas para proteger o povo, elas foram criadas para manter o governo no poder, simples assim.
      Para uma pessoa que reclama dos outros por não pensar, deveria reclamar de si mesmo…

  3. Mi disse:

    Sou jornalista e acredito que essa imagem representa que a imprensa deu (e levou) um tiro no pé. A partir do momento que as empresas pra qual trabalhamos toma partido contrário ao povo, ela se torna vulnerável. E pior, a nossa imprensa é tendenciosa, ela não é só contra o povo, ela é a favor dos políticos. Sinto pela jornalista como pessoa, mas pelo o que ela representa (mídia), eu não sinto não!

  4. Leonir disse:

    Quem viveu na época do militarismo sabe bem oque significa tudo isso que a tv tem mostrado! pobre de quem acaba sendo pego pela policia e enquadrado!manifestação tem que ser livre , não determinada em que area da cidade pode acontecer,democracia é liberdade, para manifestar e para noticiar!!!onde esta essa liberdade???o jornalismo tem que se unir e não desistir nunca!!! jamais!!os enfraquecidos podem ser os leões amanhã, o povo preciso disso!

  5. Jean Silveira disse:

    A ideologia de cidadão brasileiro antes utilizada se reflete no que aconteceu com esses profissionais reprimidos por um ato de justiça que eles estão realizando e, que de importância significativa reflete no caos visível nesse país que usa suas autoridades para mascarar o que se entende por “ditadura liberal”, pois ao mesmo passo que o dinheiro arrecadado com a extração do Metal Nióbio é totalmente voltado para os fins lucrativos do poder presidencial e companhia, ocorre um aumento na tarifa do sistema de transporte, sistema esse que poderia ser facilmente suprido com 1 % do dinheiro desse metal extraído de forma ilegal, com mão de obra escrava… Mas eu repito com palavras mais claras, esses profissionais envolvidos são os verdadeiros “cidadãos brasileiros”, tendo em vista a problemática que eles enfrentam todos os dias para tentar abrir mesmo que seja um somente dos olhos de pessoas entregues ao comodismo, entregues a miséria!

  6. Com todo respeito meu amigo. Mas jornalismo hipócrita e filho da puta né?!
    Os únicos comunicadores bem intencionados são os pequenos, insignificantes perto do poder dos grandes grupos. E não digo isso de forma teórica, vivi dentro das agências de publicidade o lixo imundo que é a manipulação das emissoras quando se trata de relações com o governo.

    Então cara, minha opinião… a imprensa não levou tiro porra nenhuma. Apenas foram mordidos pelos cães que eles mesmos criaram. Atingidos pelo sistema que prega a “liberdade de imprensa” mas que não passa de um eufemismo barato para “vamos falar o que quiser, manipular as informações que chegam até as pessoas, que no fim não dá nada”.

    Desculpa se estou sendo grosseiro, mas “imprensa vítima” é o caralho!!! Vejo no meu feed, centenas de fotos, vídeos, relatos, de amigos e amigos de amigos que viveram as experiências em tempo real e estão compartilhando-as sem manipulação e sem intenções mercadológicas. Isso sim faz a diferença em um país… e não alguns jornalistas bem intencionados, mas que ao chegarem na redação têm seus relatos “podados” por algum editor corrupto com o rabo preso.

    Em resumo, a imprensa levou um tiro hoje SIM. Mas não foi da bala de borracha dos PM’s despreparados e corruptos. Mas de um povo cansado de ser manipulado, que com a ajuda da tecnologia decidiu mostrar os fatos pelos seus próprios olhos. Falar com sua própria boca.
    E não mais aceitar que falsos “heróis” lhe digam como pensar.

    Isso sim é o começo de uma revolução!

    • shin70 disse:

      Com certeza a sua vida inteira você só se informou apenas pelos pequenos comunicadores, só viu histórias que te despertaram sobre a condição do país por pequenos comunicadores, e qualquer mudança intimidatória que os governos se submeteram foi por causa da força dos pequenos comunicadores. É claro que a manipulação existe, e é óbvio que isso é ruim, e é ótimo que mais pessoas estejam propagando os absurdos que aconteceram nos protestos, mas a imprensa foi criada, se organizou, ganhou força, derrubou presidentes e se ela é intimidada, isso é ruim pra democracia. pense como um todo, não só na sua revolta, meu caro. abraço

  7. Mayron disse:

    Se acerta um jornalista é a monstra da PM,
    Se mata um ladrão assassino e estuprador é a Monstra da PM,
    Nunca a culpa é dada a quem de direito.
    Lamento pela repórter sim, mas no manifesto também houveram policias militares feridos, e cada a imparcialidade da imprensa em noticiar isso?
    Policia esta lá ganhando uma miséria para limpar a porcaria que alguns arroaceiros fazem, poucos estão realmente empenhados em um manifesto!

  8. Joaquim disse:

    A PM tem que acabar. Ser extinta. Primeiro, que não é polícia militar: é PARAMILITAR. Militar somente as forças armadas. Segundo, foi criada em 1809 para defender um regime imperialista, vale dizer, um Imperador… Ou seja, a mentalidade é velha e o ranço ditatorial impera. Terceiro não tem preparo, não conhecem as leis mínimas para abordar situações, nada sabem de Direito e… Só sabem mesmo é “proceder”… Este é o único verbo que sabem. Teriam que ter o curso de Direito, NO MÍNIMOOO!!! (Como nos EUA). SÓ NO BRASIL existem DUAS polícias estaduais… Só no Brasil. No mundo inteiro, só há uma polícia federal e uma estadual e suas compartimentalizações de acordo com a atribuição de seus agentes. Fim da Polícia “Militar” (Paramilitar, comandada por um General de Exército – É assim, sabiam?) e emcampamento de TODO SEU ACERVO à Polícia Judiciária, erroneamente denominada de polícia civil e fim! Só teríamos DUAS Polícias: A Polícia Judiciária Estadual (PJE) e a Polícia Judiciária Federal (PJF), sem esquecer a Polícia Rodoviária Federal. Isso, FIM de uma coisa que há muito tempo já devia ter ido embora, coisa do velhaco império, já estamos na república, e, muito, mas muito além daqueles tempos ditatoriais.

  9. Pingback: Hevige onlusten door duurder buskaartje | FL CMSFL CMS

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s